O que trazer de volta da Missão Cidade Educadora?

O que trazer de volta da Missão Cidade Educadora? ✈️

Esse é um questionamento importante em relação à viagem realizada pela Secretaria Municipal de Educação à Barcelona, o berço do movimento Cidades Educadoras. Passo Fundo aderiu ao movimento há poucos anos, e desde então a mantenedora tem desenvolvido projetos para fazer jus ao título, os quais, inclusive, estão sendo apresentados pelos alunos premiados da missão.

Se o executivo municipal espelha-se em Barcelona e, com a viagem, objetiva aperfeiçoar a sua educação, por que não começar pela valorização de seus educadores? O salário de um professor em Barcelona tem, proporcionalmente, um poder de compra muito maior do que o salário de um professor em Passo Fundo. Resta a pergunta: quanto vale um professor?

Os projetos são, sem dúvida, importantes, mas consideramos fundamental, antes de mais nada, priorizar as necessidades das escolas com base no ponto de vista de quem faz parte do cotidiano escolar. Quanto aos professores, será que sua remuneração digna, balizada pelo piso nacional, não deveria ser prioridade quando pensamos na valorização desses profissionais? O CMP Sindicato acredita que sim. O conceito de cidade educadora é amplo, mas quando o trabalho realizado pelos docentes é utilizado como vitrine para projetar nosso município mundo afora, parece coerente que quem faz a educação acontecer seja valorizado.

Afinal de contas, não existe cidade educadora sem gestão democrática, não existe cidade educadora sem escola, não existe cidade educadora sem educadores! ✊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − dois =

Deixe sua mensagem que entraremos em contato com você o mais breve possível.

WHATSAPP